14 de maio de 2009

Doce suspiro

Ah, a vida!
Talvez a melhor maneira de fazer a vida correr seja deixando que ela vá, ligando-se às correntes mais primárias de sua origem. No Deus que coloca o universo pra expandir. Impressionante como Deus, mesmo permitindo o acaso, projetou um acaso criativo, nunca alheio à Sua harmonia, mas ao mesmo tempo livre, complexo, intocável, solto, permissivo; enfim, paradoxal.
É fantástico ver-se desenvolver, ver-se andar na matéria, fazer energia (no sentido mais físico da palavra) fluir do corpo, movimentar, remodelar, entrar na matéria e entender a mágica da existência pura, bruta, organizada subjetivamente no concreto!
Ao mesmo tempo a vida pede um olhar metafísico, pra fora, ou por entre a matéria, na expectativa mesma da reconciliação universal da simples existência do todo, do inseparável.
A encarnação de Deus é pra mim o grande mistério, maravilhoso, que fuzila qualquer esperança de olhar pra uma outra espiritualidade que não esteja calcada no possível, na relação, na liberdade de ida e volta, na possibilidade infinita do amor autêntico.
Imagino que a criação seja o ato mais grandioso de qualquer ser. Pensando num Deus criador, olhar em volta, ver homens e mulheres, árvores e a confusão de beleza de pôr-de-sóis, dos infinitos matizes que nunca deixam de espantar; pensando neste ser, é impossível não pensá-lo como alguém que lança cordas diárias para recolher nossas
Quem duvidaria que se conte a história de que este Deus, no anseio por ver a beleza sair de Suas mãos para um universo do que é partilhado, do que pode ser reinterpretado livremente, por ciência, filosofia e, sobretudo, arte, enfim, que Ele tenha soprado numa porção da matéria, num punhado de barro e tenha feito o barro, a partir dali, em si, ter vida.
Vida interpretativa, criativa, imitadora do Pai, como quem aprende como as coisas devem ser feitas.
Ah! Doce suspiro por uma vida eterna junto do Criador da criação.

Um comentário:

Miguel Del Castillo disse...

andré! que vontade de viver que deu!
lembrei da Clarice: "Aspiro a uma fusão de corpo e alma".

"Impressionante como Deus, mesmo permitindo o acaso, projetou um acaso criativo, nunca alheio à Sua harmonia, mas ao mesmo tempo livre, complexo, intocável, solto, permissivo; enfim, paradoxal."

Incrível mesmo. Deus, movimento criativo. Deus-movimento.

Vil Homem Simples


"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai."(João 1,v. 14)
Sempre existiu algo intangível na Palavra. Mas isso já foi quebrado.