12 de agosto de 2008

Homenagem a Deus

Acho que depois de alguma reflexão, além de alguns conhecimentos técnico-científicos eu poderia citar 3 coisas que aprendi com o curso de engenharia química.
A primeira é que descobrir, modelar e investigar a natureza não é uma tarefa nada fácil. Cada porta que abrimos no conhecimento revela umas outras 5 portas adiante, numa atividade que nunca se acaba. Basta ver que nosso olhar para o universo compreende ao mesmo tempo quarks e estrelas gigantes, ondas e partículas que são a mesma coisa, a velocidade da luz e o lento movimento das placas tectônicas, enfim, coisas em diferentes dimensões de percepção. Tudo estudado ao longo de anos e anos, na evolução do pensamento científico pelos melhores cérebros. E as portas que abrimos no passado, depois de um tempo, nem temos certeza se de fato as abrimos. Com isso, eu diria que podemos extrair, no mínimo, uma lição de humildade diante de nossa impotência da compreensão de tudo.
Bem, eu digo isso, pois eu não entendo nem a minha própria cabeça bagunçada, que dizer então do cosmo tão bem ordenado, das árvores, dos céus, da terra, dos animais e dos próprios homens?
A segunda coisa que aprendi é que, mesmo na dificuldade de descobrir a natureza, as respostas são reveladas à luz da razão, e podemos, com nossos instrumentos, lançar mão de teorias que aproximam bem a realidade e a nossa maneira de compreendê-la. Fazemos as mais variadas hipóteses e teorias! E as teorias são as chaves das portas.
Uma boa chave consegue abrir uma porta. Uma chave ruim funciona no máximo como abridor de garrafas, em que bebemos nossas ilusões e fingimos que sabemos de alguma coisa. Por algum tempo, é claro. Pois a razão é uma manifestação sempre persistente e não tolera aproximações delirantes para sempre.
A terceira coisa que eu aprendi é que, por mais que abramos as portas com nossas chaves, nós não somos o carpinteiro que fez as portas, nem o construtor do prédio que as colocou lá.
As portas estiveram lá desde sempre. E antes delas, alguém com muita razão as fez para serem realmente abertas.
O que eu vejo na abertura de nossas portas, de nossas mentes, no descobrir da beleza do cosmo é um convite.
Um convite maravilhoso, que muitíssimo nos atrai, mesmo que nem entendamos ainda sua atração. Um convite, que, como todo bom convite, não é uma disputa intelectual, pois certamente perderíamos; mas é um convite a que homem e mulher pensantes participem na descoberta do Deus que criou todas as coisas que há no mundo e sem o qual nada haveria.
A esse Deus pessoal, eu agradeço por esta cerimônia que encerra uma etapa e abre outras muitas portas, pelos anos de aprendizado, companheirismo e sustento, pela própria vida e pelo grande convite de conhecê-lO.
Senhor Deus, seremos sempre gratos.


- Texto escrito por ocasião da e lido na cerimônia de formatura da turma de Engenharia Química do primeiro semestre de 2008 da UFF.

7 comentários:

Gil disse...

Excelente!!! Um dos seus melhores textos. Curto, grosso e profundo!
Parabéns, Engenheiro!!!

debora vhs disse...

Primeiramente gostaria de enfatizar o fato de q eu me formei. Mas o formando não é quem assina o diploma e sim aquele que apesar das lutas e desilusões, apesar das paixões e das derrotas manteve sempre sua excelencia nas vitorias. Meu irmão é um exemplo para quem quer que seja. Não por escrever bem e muito menos por ser engenheiro, por mais dificil que pareça o diploma, a vida é bem mais complicada. Ele passou por tudo isso e junto com seus pensamentos e sua graduação ele ainda continua sua caminhada como se estivesse começando. Com suas frases esquisitas e sua cabeça nas nuvens ele soube como juntar tudo isso com a exata ciencia inexata. E é esse o Vil Homem Simples, que com toda a exatidao de seu diploma, ensinou que a simplicidade de viver não se carrega em nomes e sim em Um nome!

Miguel Del Castillo disse...

uou. depois do texto e do comentário orgulhoso aqui em cima, eu só fico no: "meus parabéns".

a analogia do prédio com as portas é sensacional. e queria destacar uma frase: "a razão é uma manifestação sempre persistente e não tolera aproximações delirantes para sempre."
amém.

um abração

Anônimo disse...

André, mais uma vez você mandou muito bem no seu texto. Mas não é por isso, e muito menos porque você agora é engenheiro, que você se tornou um dos meus prediletos.

É porque houve um momento especial em que você abriu a guarda e eu li nas suas entrelinhas.

Ser sua amiga me dá muito orgulho!

Liege Lopes disse...

André, mais uma vez você mandou muito bem no seu texto. Mas não é por isso, e muito menos porque você agora é engenheiro, que você se tornou um dos meus prediletos.

É porque houve um momento especial em que você abriu a guarda e eu li nas suas entrelinhas.

Ser sua amiga me dá muito orgulho!

Jocelaine disse...

Andre
Sou grata a Deus por ser mãe de um rapaz tão especial,que procura nas coisas simples e reais o sentido da vida ,e com isto vai subindo os degraus do crescimento,conhecimento e amadurecimento.
Sinto-me feliz por ter participado de sua educação e ensinado algumas coisas que puderam fazer diferença no seu viver.
Deus o abençõe!!Parabéns.
Da mãe que o ama.

Bianca disse...

Parabéns pela vitória, engenheiro!
Muito muito bonito o seu texto...
Obrigada por testemunhar com tanta qualidade sobre nosso Deus!

beijos!

Vil Homem Simples


"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai."(João 1,v. 14)
Sempre existiu algo intangível na Palavra. Mas isso já foi quebrado.