25 de maio de 2008

Conhecendo a Italia


Consta dos clássicos que Júlio César, ao atravessar o rio Rubicão, numa decisão delicadíssima, disse as imortais palavras: "Alea jacta est!" e rumou à Itália fazendo o proibido curso, com suas legiões vindas da Gália Cisalpina, voltando à Roma.
Eu e outros 3 amigos lançamos a sorte no dia 09 de maio passado, para a empreitada de percorrer boa parte da Itália em 9 dias, saindo de Mannheim, na Alemanha.
Primeiro fomos a Nápoles, como o destino primeiro de nossa viagem e, depois de termos andado bastantes quilômetros e pagado o devido pedágio, vimos os efeitos da greve na coleta de lixo, que rendeu algumas manchetes de jornal. Lá, nos arredores, vimos as ruínas de Pompéia, lidamos com uma Máfia dos estacionamentos e não vimos grandes belezas Napolitanas dignas de nota. Mas comemos uma boa pizza.
Depois migramos para Roma.
Linda cidade! Muito que ver: o Panteão, o Coliseu, a fonte de Trevi, Piazza Navona, o Vaticano e suas obras de arte de inestimável valor, os Quartos de Raphael, a Capela Sistina, a Basílica de São Pedro... Enfim, muito.
Só lamento muito não ter visto as catacumbas.
Seguimos viagem e conhecemos Lucca, uma cidadezinha linda, com muros ao redor de si e vimos o que há para se ver em Pisa, a torre.
Em Florença nos demos mal, não encontramos o lugar onde ficaríamos, não se achava lugar bom pra comer barato e ainda compramos um sorvete que vai ficar gravado na minha memória, como o sorvete mais caro do mundo (9,- euros). Mesmo assim, a contra-gosto, devo admitir que a cidade tem o seu charme.
Depois de Florença fomos à tão famosa cidade de Veneza, a cidade de incontáveis pontes e delicadezas. Bonita, sim, mas não mais charmosa que Verona, a cidade da inspiração de Shakespeare para a criação dos amantes que imortalizaram sua obra, "Romeu e Julieta".
Lugares lindos, um povo "mais ou menos" simpático (na verdade, eu hesitaria muito em chamar um italiano de simpático e fico com "menos" no geral, pontuando marcantes excessões em Roma, Lucca, Veneza e Verona).
Um lugar belíssimo, sim, com uma riqueza histórica muito imponente.
Mas não posso de fato me esquivar de dizer que o que me foi impressionante de verdade, o que ficará para um próximo texto, uma vez que o teor deve ser digerido de modo diferente dos enunciados de uma viagem de turismo.
Por ora, fica o comentário básico: a Itália é bem bonita e vale a visita!


Nenhum comentário:

Vil Homem Simples


"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai."(João 1,v. 14)
Sempre existiu algo intangível na Palavra. Mas isso já foi quebrado.