10 de março de 2008

Leitura Bíblica

Não acho que seja difícil ouvir coisas do tipo: "Não sou religioso(a), mas acredito em Deus. Só não acredito que Ele tenha feito as coisas que a Bíblia diz: criar o mundo em 7 dias, etc..."
Acho que a primeira coisa que me vem à mente, como um impulso de purismo, é pensar que Deus não criou o mundo em 7 dias. O relato do Gênesis diz que foram 6 dias de criação e um de descanso e santificação. Mas acho que todo mundo conta este último dia como parte do mesmo feito, portanto, parte do ato de criar. Eu concordo.
O que realmente me choca é o fato de que é a este tipo de raciocínio que as pessoas vinculam a palavra "religião". Não bastasse o famoso termo "religare" e blá blá blá...
Eu, como alguém que professa fé evangélica em Jesus, posso ser chamado de religioso por uma pessoa que não tenha nenhuma preferência religiosa. E, como decorrência natural desta disparidade de posições, fico imaginando o que o "não-religioso" tem em mente quando pensa em alguém como eu.
Deve imaginar uma pessoa extremamente crédula, piedosa, com pouca capacidade argumentativa, pouca curiosidade científica, pouca vontade de experimentar o novo, pouca libido e com pouco senso de humor também. Pouco tudo. Um preconceito e um julgamento, pra dizer o mínimo, tolos...
Embora eu prefira pensar que há, na verdade, um pouco de tudo, em vez de pouco; a indiferença total da maioria das pessoas deístas resulta da esquisita leitura bíblica que se faz em alguns lugares. Lugares até de gente de Letras (com L maiúsculo).
Fico pensando e desejando que, de verdade, façamos uma leitura significativa da Palavra, não para fazer queda-de-braço, mas para refletir a imagem de um Deus racional em vez de outra coisa diferente.

4 comentários:

Bianca disse...

Amém...
ou melhor:
Que seja assim!

Zololkis disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dumuro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Zololkis disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Vil Homem Simples


"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai."(João 1,v. 14)
Sempre existiu algo intangível na Palavra. Mas isso já foi quebrado.