10 de agosto de 2007

Oração

"Eu quero ser um cristão de verdade."

Eu já repeti esta frase mais de uma vez em minhas orações.
Eu, como sou crente, acredito que Deus me ouve em boa parte do que digo (há algumas coisas que eu acho que Ele ouve só porque é onipresente e generoso, pois certamente não deveria ouvir, com seus ouvidos santos, minhas palavras tão sujas). Acho que Ele me ouve inclusive nesta pequena oração.
Mas eu mesmo nem entendo muito bem o que esta frase enuncia, pra ser bem honesto.
Por vezes eu quero ver o cristão como alguém que recorre ao apelo de Cristo: "sede, pois, perfeitos como é perfeito o vosso pai celestial."
Eu não sou perfeito. Nem de longe... ou melhor, de perto sou menos perfeito ainda, como é fácil constatar.
E eu, às vezes, me pego na tentativa de ser o melhor que posso ser, ou mais do que isso. Posso afirmar que tem gente que se sai bem mais natural do que eu neste papel.

Por outro lado, quando paro pra ver o bando de gente desestruturada que compõe a igreja de Cristo, mais ainda me animo em ser cristão e me acho plenamente aceitável, pois, afinal, é o mesmo Cristo que afirma que não lança fora aqueles que vêm até ele. Mais ainda, ele diz que não veio para os sãos, mas sim para os doentes.
Se eu fizer algum esforço para pensar em uma pessoa desajustada, a primeira que me vem a mente sou eu mesmo. Vivo cheio daquelas coisas que sempre estão por ser feitas, mas que nunca consigo terminar como queria, ou de coisas mal resolvidas comigo, com os outros, etc...
E sou normal (data venia este espasmo de auto-estima). Sou que nem os outros tantos que são todos desajustados.
Assim, vejo que o bacana (pra usar uma palavra desajustada) de ser cristão é ser alcançado pela graça de Jesus, mais do que os padrões de santidade perfeita, que ninguém vai atingir, mas que sempre se deve tentar perseguir.

Assim, tudo o que posso apontar de minha pequena oração se resume nestes três pontos:
O sentimento que a gera é de impotência diante da empreitada de ser cristão, mas ao mesmo tempo basta que eu me reconheça o impotente que de fato sou.
Seu resultado é, inevitavelmente, o crescimento espiritual, por qualquer dos caminhos possíveis (dor ou aprimoramento moral).
Pra que a oração tenha coerência (não só sintaticamente), devemos colocar nela um vocativo e pedir a orientação de Deus para a conduta desta difícil tarefa:
"Deus, eu quero ser um cristão de verdade."

Um comentário:

orlicsf disse...

junto com você nessa oração!!

[se os ajustados e desjustados estiverem conosco... acho que alguma coisa pode melhorar.]

Vil Homem Simples


"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai."(João 1,v. 14)
Sempre existiu algo intangível na Palavra. Mas isso já foi quebrado.