26 de novembro de 2006

Cristianismo Empírico

Um dia um amigo meu começou a me influenciar e dizer que eu deveria participar de um projeto missionário.
Deixei-me levar pela idéia e acabei me inscrevendo num programa, depois de escrever informações cabeludíssimas num formulário que perguntava sobre tudo da minha vida. Como o programa era relacionado a música, gravei uma santa demo e a enviei junto com o tal formulário pra avaliarem se eu poderia participar, dadas as habilidades gravadas e as informações descritas.
Fui aceito, e, em seguida, ligaram, perguntando sobre as informações que constavam do interrogatório.
O próximo passo foi arranjar sustento, grana. Deus, pra variar, forneceu tudo, bem além da conta.
Chorei, ri, fiquei impressionado com o poder de Deus, de ver como as coisas fluem, quando Sua vontade é feita.
E agora, senhoras e senhores, sou um missionário.
Se alguém se assustou, por favor, recobre a normalidade, porque nem eu acredito.
Talvez alguém espere de mim um crente mais-que-exemplar, um super-cristão, que não peca, não sente nada, a não ser amor pelas almas perdidas, um exortador à santidade,
quase um João Batista, uma verdadeira voz do que clama no deserto.
Estou bem longe disso. O que posso prometer, com certo receio do real cumprimento, é que tentarei ser um homem menos vil. Ao menos, mais honesto comigo mesmo e meus defeitos. Mesmo assim, é pela misericórdia do Senhor que isso se dá, não por meus esforços.

Quem saberia dizer o que esperar?
E é aqui que vemos como a vida cristã é algo muito mais prático do que teórico.
Esperamos, mesmo que inconscientemente, um comportamento adequado ou ao padrão imposto ao cristão (não bebe, não fuma, não transa antes do casamento, não joga, não, não, não!) ou ao que está escrito na Bíblia. Eu fico com o que está escrito na Bíblia, pela profundidade e pela verdade que encontro ali.
Mesmo assim, superficialmente e sutilmente, me vejo constantemente tentado e, por vezes, flertando com o pecado (e geralmente é com as mulheres mesmo que flerto pecando).
O que eu espero é que o Senhor me use com o que eu penso ser impossível: eu mesmo.


7 comentários:

thaís ayres disse...

é o melhor começo de todos..
ser sincero consigo mesmo..
conhecer nossos defeitos e nossas maiores fraquezas é a melhor maneira de se tornar forte no Senhor.

Deus te abençoe nessa sua etapa.
estou torçendo desde já.
conte com minhas orações.
beijos

Bianca disse...

Amigo missinário,
Deus surpreende, né?

Muito feliz por tudo...
mesmo!
Principalmente por fazer parte disto tb. Mais incrível ainda é ver Deus agindo tão de perto, em pessoas tão próximas, e de formas tão "diferentemente iguais"!

Em uma conversa final com a missionária que 'orientava' o Orli, ela disse exatamente isto. Quando os planos de Deus são efetivados, as coisas se assentam como luvas... e SOBRAM!
é verdade... não sei se entende os trocadilhos, mas, de fato, até sobram... rs

e o mais maravilhoso sobre a Graça é esta inclusão dos meros mortais no cumprimento da Grande Comissão...
ah...
bom demais...
chega a ser constrangedor receber esta honra! mas é, de fato, m-a-r-a-v-i-l-h-os-o!

Que venha Janeiro!
uhuuu


bjos

Gil disse...

Vc lembra de "Pedro, vc me ama? Sim, Senhor, eu gosto muito de vc... Pedro, vc gosta de mim? Sim, Senhor, vc sabe de tudo e sabe que tudo que consigo é gostar muito de vc. Ok, Pedro, mesmo assim, cuida e alimenta os meus amigos."

Desculpa a distorção no texto. Deus conhece vc muito bem. Ele conhece profundamente seu "eu mesmo" e mesmo assim te convidou pra representá-lo e cuidar dos amigos dEle. Vai entender esse Deus... Impossível, como retoricamente concluímos ontem em nosso grupo. E espere só o que Ele vai fazer com vc e de vc!

Gosto de como vc escreve. Posso quase ouvir vc falando. Bom ser seu recém-amigo. Abraços!

Anônimo disse...

Andre!!!!
Meu Deus! Que lindo!
Sofro de pensar que todas as pessoas que conheco estao estiveram ou estarao ligadas ao movimento de pregacao do evangelho. Sofro por saber qual a dor que se passa em nossos corpos meramente mortais em luta com nossas mentes que nao querem mais viver um pic nic no front.
Sofro por saber que de certa forma eu trouxe essa dor, pois por muitas vezes orei por ceifeiros.
Sofro pois sei que muito maior que os naos impostos pelos outros e que nunca constaram na Biblia, na verdade acabam nos atingindo de maneira mais veemente porque os que fazem picnic ainda nao se permitiram viver esse amor extrasensorial, supra humano e que esta tao acessivel quanto poder tocar os proprios joelhos.
sofro, de um sofrimento contente de nao ser mais isolado e incompreendido

Com motivos a mais pra te admirar, oro por teu desenvolvimento e o exito de sua estreia fora da Matrix.

Mando abracos? Mando bjs?
Bom, que a felicidade chegue como partiu de mim...

camila disse...

Andre!!!!
Meu Deus! Que lindo!
Sofro de pensar que todas as pessoas que conheco estao estiveram ou estarao ligadas ao movimento de pregacao do evangelho. Sofro por saber qual a dor que se passa em nossos corpos meramente mortais em luta com nossas mentes que nao querem mais viver um pic nic no front.
Sofro por saber que de certa forma eu trouxe essa dor, pois por muitas vezes orei por ceifeiros.
Sofro pois sei que muito maior que os naos impostos pelos outros e que nunca constaram na Biblia, na verdade acabam nos atingindo de maneira mais veemente porque os que fazem picnic ainda nao se permitiram viver esse amor extrasensorial, supra humano e que esta tao acessivel quanto poder tocar os proprios joelhos.
sofro, de um sofrimento contente de nao ser mais isolado e incompreendido

Com motivos a mais pra te admirar, oro por teu desenvolvimento e o exito de sua estreia fora da Matrix.

Mando abracos? Mando bjs?
Bom, que a felicidade chegue como partiu de mim...

Adriana disse...

Que bom que vc foi até o fim nesse programa missionário. Hehehe. Confesso que achei muito engraçada esse definição. E o impossível aconteceu: como Deus usou vc! Que bom que vc colocou à disposição do Reino tudo aquilo que Ele tem lhe dado!
Ah... aqui estou descobrindo mais uma faceta sua, que eu já imaginava que seria boa: a de escritor.
Abraços amigo!

maíra disse...

Janeiro se passou e estou realmente cada dia mais entendendo que a graça de Deus basta pra vc e pra mim. Ele ker, deseja nos ver como instrumentos da graça, porém só de saber q ela existe mesmo e é eterna....nunca nos faltará, até nos dias que me achar "sem uso".
A graça basta para nos fazer missionários, surpreendentemente usados tds os dias onde for.

Mais q usa-me, eu peço que Deus nos aprove!!!

Vil Homem Simples


"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai."(João 1,v. 14)
Sempre existiu algo intangível na Palavra. Mas isso já foi quebrado.